Notícias » 23/06/2017

Santa a Sé à OEA: quando magistratura é corrupta dá lugar à lei do mais forte

O Estado de direito está fortemente ligado à proteção dos direitos humanos. É o que ressalta o observador permanente da Santa Sé junto à Onu, em Nova Iorque, Dom Bernardito Auza, numa declaração dirigida à Assembleia Geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), concluída na quarta-feira (21/06) em Cancun, no México.

Todas as pessoas têm a mesma dignidade e valor. O direito fundamental à vida deve ser defendido e protegido em todas as fases, desde a concepção até a morte natural. Mas ainda é colocado em discussão o direito à vida dos nascituros, dos migrantes, dos pobres, dos necessitados de cuidados especiais, dos anciãos e daqueles que são condenados à morte, acrescenta o arcebispo filipino.

O trabalho entre os pilares do desenvolvimento humano

A Santa Sé encoraja a Organização dos Estados Americanos a multiplicar seus esforços para promover os direitos humanos universais e inalienáveis. Os pilares do desenvolvimento humano integral, como a habitação, o trabalho adequadamente retribuído, o acesso ao alimento e água potável, bem como a liberdade e os bens espirituais têm seu terreno comum no direito à vida, sem o qual a existência humana não é possível, ressalta o representante vaticano.

Sejam tutelados especialmente os mais vulneráveis

A delegação da Santa Sé acolhe, em particular, as iniciativas voltadas a garantir o acesso à justiça para as pessoas em situações de vulnerabilidade, entre as quais os detentos, os indigentes, os refugiados e os deslocados.

Dom Auza observa ainda que a delegação da Santa Sé está preocupada com as pessoas ilegalmente detidas, com aqueles que são injustamente acusados, com os portadores de deficiência mental e com aqueles que não têm um advogado ou os recursos para reivindicar seus direitos. Estas categorias de pessoas devem encontrar reconhecimento e tutela no seio do sistema legal.

Estado de direito ligado à liberdade de expressão

A Santa Sé quer também ressaltar o laço entre estado de direito e liberdade de opinião e de expressão. A detenção e o homicídio de jornalistas, de investigadores e de ativistas são o sinal de um interesse potente que busca evitar a identificação de responsabilidades. Isso vai contra os direitos humanos, contra a democracia e contra o estado de direito.

Magistratura seja autônoma

Ademais, o observador permanente ressalta que a independência da magistratura é um elemento fundamental do estado de direito e para uma correta administração da justiça. Por fim, recordando o que disse o Papa Francisco sobre esse tema, Dom Auza observa que quando a magistratura é corrupta, o estado de direito dá lugar ao mais forte.

Por Rádio Vaticano

Liturgia diária
Avisos paroquiais

Na quarta-feira dia 27 de Setembro temos a Missa de louvor e adoração às 20h na Matriz. Celebramos o dia de São Vicente de Paulo nesta quarta-feira dia 27 de Setembro e o núcleo missionário irá celebrar a Missa do padroeiro às 19h30 na Rua Marcos Liach, 536 – Jd. Macarenko (Casa do Sr. Vanderlei

Conheça
Enquete
Quais trechos da Bíblia você consulta mais?
Ver o resultado
Previsão do tempo